O Velho e o Moço

Deixo tudo assim
Não me importo em ver a idade em mim
Ouço o que convém
Eu gosto é do gasto

Sei do incômodo e ela tem razão
Quando vem dizer, que eu preciso sim
De todo o cuidado

E se eu fosse o primeiro a voltar
Pra mudar o que eu fiz
Quem então agora eu seria?

Ahh, tanto faz
E o que não foi não é
Eu sei que ainda vou voltar
Mas eu quem será?

Deixo tudo assim, não me acanho em ver
vaidade em mim
Eu digo o que condiz.
Eu gosto é do estrago.

Sei do escândalo e eles têm razão
Quando vem dizer que eu não sei medir
nem tempo e nem medo

E se eu for o primeiro?
A prever e poder desistir
do que for dar errado

Ahhh
olha, se não sou eu
quem mais vai decidir
o que é bom pra mim?
Dispenso a previsão

Ahhh, se o que eu sou
É também o que eu escolhi ser
aceito a condição

Vou levando assim
Que o acaso é amigo do meu coração
Quando falo comigo, quando eu sei ouvir.

Rodrigo Amarante

5 comentários:

Meysa disse...

Gostei, interessante.

Luh* disse...

Bem legal!
sou do ES tb, mais não conheço muito da cena capixaba, pq são poucos!
beijos

Nathi disse...

Gostei, algo nele eu me vi demais!

Mas prefiro não procurar bem que parte, tô evitando me olhar no espelho por hoje!

^^

Beijos e obrigada pela visitação!

começar denovo disse...

AmigoO nerd...
Amei, caracas o cara poca na escrita...

Que inveja boa ( isso existe ?)
Bem admiração !!!

=p BjoO Grande!!!

Mundo Mudo, Ouvidos Surdos disse...

"E se eu fosse a primeira a voltar
Pra mudar o que eu fiz
Quem então agora eu seria?"

Sempre gostei dessa música, sempre me vi nela.

Postar um comentário